Prefeitura lança programa de capacitação ‘Donas de Si’ para beneficiárias do Bora Belém

Prefeitura lança programa de capacitação ‘Donas de Si’ para beneficiárias do Bora Belém

As mães atendidas pelo “Bora Belém” ganharam uma oportunidade de independência financeira com o programa de formação e capacitação profissional “Donas de Si”, lançado nesta quarta-feira, 2, pela Prefeitura de Belém, por meio do Banco do Povo de Belém (antigo Fundo Ver-o-Sol).  A cerimônia de lançamento ocorreu na Escola Municipal Alzira Pernambuco, bairro do Marco, com a presença do prefeito Edmilson Rodrigues.

O “Donas de Si” vai oferecer cursos gratuitos à população que mais precisa se preparar para obter uma colocação no mercado de trabalho ou empreender de forma individual ou coletiva. O programa é direcionado às mulheres, inclusive às mulheres trans, mas, nesta primeira etapa, será direcionada a famílias em condição de vulnerabilidade social, que são chefiadas exclusivamente por mulheres.

Atualmente, das 4.069 famílias beneficiadas pelo Bora Belém, 3.673 são chefiadas apenas por mulheres, segundo levantamento realizado no último dia 26 de maio pela Fundação Papa João XXIII (Funpapa), da Prefeitura de Belém. 
 
O programa vai oferecer diversos cursos em áreas como moda, beleza, corte e costura e culinária. O primeiro deles será o de Processamento de Frutas e Produção de Geleias, Compotas e doces, que oferecerá 84 vagas em quatro turmas, com aulas entre os meses de junho e julho, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

A coordenadora-geral do Banco do Povo de Belém, Georgina Galvão, explicou que na manhã do lançamento do programa, as mulheres do Bora Belém preencheram questionários informando quais conhecimentos gostariam de adquirir: “A gente coleta o interesse, faz uma escuta para entender o que elas vivem e que habilidades elas querem desenvolver para a gente oferecer os cursos”. 

Para o prefeito de Belém Edmilson Rodrigues, o programa complementa o auxílio do Bora Belém ao proporcionar que as mulheres conquistem a “autonomia financeira para que não precisem do Bora Belém”. “É formação profissional e, depois tem o terceiro passo, que é o microcrédito para viabilizar os empreendimentos”, ressaltou o gestor, antecipando a volta da política de microcrédito (crédito social) a pequenos empreendedores, que também voltará a ser operacionalizado pelo Banco do Povo de Belém.

A dona de casa Zuleide Favacho, 60 anos, que se submeteu ao tratamento de câncer na tireóide, ficou impossibilitada de trabalhar com a venda de salgados na porta de casa. Com o programa de renda cidadã “Bora Belém”, Zuleide pode sustentar os três netos que residem com ela. “Eu agradeço muito essa oportunidade que Deus me deu ter o Bora Belém. Agora eu quero fazer um curso para trabalhar na porta da minha casa para eu sobreviver. O Bora Belém está me dando essa oportunidade”,  comemorou.

“O programa ‘Donas de Si’ avança para que essas famílias, a maioria chefiadas por mulheres, possam criar sua perspetiva de vida e possam emancipar  a construção da sua liberdade e independência econômica”, explicou o presidente da Funpapa, Alfredo Costa. 

Durante o lançamento do programa, que conta com a ação intersetorial e integral de outros órgãos da administração municipal, como a Funpapa e as Secretarias Municipais de Saúde (Sesma) e de Educação (Semec), 120 mulheres receberam o cartão do SUS, que dá garantia ao acesso ao sistema público de saúde, e ainda foram convidadas a participar do programa “Cidade Alfabetizada e Educadora”.

De acordo com a coordenadora da Mulher de Belém, Lívia Noronha, muitas mulheres permanecem em relacionamentos abusivos  pelo fato de dependerem financeiramente do companheiro. ” A mulher entende que ela precisa daquele homem e que não tem como sair. Programas como esses são fundamentais enquanto política de enfrentamento à violência contra mulher”, enfatizou.