Prefeitura de Belém concede crédito solidário a mulheres do Bengui e Tapanã

A Prefeitura de Belém, por meio do Banco do Povo, concedeu o crédito solidário com valores de até R$ 5 mil para 11 mulheres dos bairros do Tapanã e do Bengui investirem nos pequenos negócios que já possuem. As contempladas estão entre as alunas do programa de qualificação profissional Donas de Si. A assinatura dos contratos ocorreu na manhã desta quarta-feira, 20, na sede do Banco. O dinheiro será depositado nas contas bancárias das beneficiárias nesta sexta-feira, 22.

Cilene da Costa Souza, de 29 anos, mãe de quatro filhos, casada e com o marido desempregado, conseguiu o crédito de R$ 5 mil para investir no pequeno salão de beleza que possui no Bengui, onde presta serviços de manicure, maquiagem, design de sobrancelhas, extensão de cílios e micropigmentação de lábios e sobrancelha.

Mais conforto – “Eu tenho uma portinha (salão pequeno) com porta de enrolar (na entrada) e, nos finais de semana, fico até tarde lá, a rua se torna soturna. Vou usar o dinheiro do crédito da prefeitura para botar uma porta de vidro, forro e ar condicionado, para dar mais conforto e segurança para as clientes”, comemora.

Cilene é beneficiária do programa de renda cidadã Bora Belém, da Prefeitura, e, nessa condição, conseguiu a menor taxa de juros ofertada pelo Banco do Povo, de 0,01% (juro zero). Ela vai pagar o empréstimo em 12 parcelas. “Estou com expectativa grande de ampliar o meu negócio e melhorar a minha renda. Quando fiz o curso do Donas de Si, vi novas oportunidades se abrindo, graças a Deus”, relata.

Crédito e qualificação – A coordenadora geral do Banco do Povo de Belém, Georgina Galvão, destaca que a concessão dos primeiros créditos solidários para alunas do Donas de Si é a convergência de duas linhas de ação do órgão – o crédito solidário e a qualificação profissional – que se dedicam a melhorar a qualidade de vida da população por meio do incentivo à autonomia financeira. “É como nós dissemos no início do primeiro curso: daqui pra frente, ninguém solta a mão de ninguém, vamos seguir juntos com o prefeito Edmilson Rodrigues, apoiando os sonhos da nossa gente”, destacou a coordenadora, diante das beneficiárias.

Aval solidário – Quatro moradoras da comunidade do Peniel, no Tapanã, que também fizeram o curso, formaram o grupo de aval solidário – modalidade em que uma participante avaliza a outra, dispensando fiador – chamado “As Poderosas da Peniel”. O grupo conseguiu o crédito de R$ 14 mil, ou seja, R$ 3.500 para cada, para investir em atividades autônomas distintas: Cláudia Lima possui uma mercearia; Berenice Paula de Souza, vende churrasco e peixe frito; Valdilene Felipe, comercializa artesanato, água mineral e bombons; e Simone Silva, também vende churrasco. Como elas são beneficiárias do programa de transferência de renda federal, também foram contempladas com juro zero para pagar em 12 vezes.

“Eu vou investir para expandir o estoque. Como temos comércios pequenos, nunca tivemos a oportunidade de comprar em quantidade, que reduz custo e melhora o lucro. Hoje está difícil, o que a merceria rende é só pra fazer o dinheiro circular, mal dá pra sobreviver”, relata Cláudia. Com o crédito solidário, ela quer iniciar a venda dos produtos que aprendeu no curso de processamento de frutas e produção de doces, como cocadas, geleias, doce de cupuaçu e banana chips.

“Estamos iniciando a política do crédito solidário. Começamos atendendo 36 donos de barracas de praia em Outeiro, que foram afetados pelo sinistro da ponte, mas seguimos expandindo de imediato para mulheres do programa Donas de Si, autônomos de Outeiro cadastrados na Secretaria Municipal de Economia (Secon) e outros territórios de Belém”, explica Georgina.

Crédito Solidário – O Banco do Povo possui linhas de crédito solidário para apoiar pequenos negócios em Belém, com valores de até R$ 5 mil para pessoa física e de até R$ 10 mil para pessoas jurídicas, para a finalidade de capital fixo (investimento em equipamentos e ambiente) ou de giro (aquisição de produtos para vender). As taxas de juros, dependendo da categoria do empreendedor, variam de 0,6% a 1,5%.

A Portaria nº 1, de 1º de março de 2022, criou também a faixa de juro zero (0,01%) para pessoas oriundas de programas assistenciais de complementação de renda das administrações municipal, estadual ou federal; egressos do Sistema Penal e seus dependentes; e mulheres em situação de risco social. 

Serviço – Os interessados em obter o crédito podem buscar atendimento na sede do órgão, localizada na Av. Nazaré 669, esquina com a Tv. Quintino Bocaiúva, ou pelo telefone (91) 98568-8071 ou pelo e-mail fundoverosol@fvsol.pmb.pa.br.