Mulheres de Outeiro recebem cursos da Prefeitura de Belém

Mulheres de Outeiro recebem cursos da Prefeitura de Belém

A Prefeitura de Belém, por meio do Banco do Povo, deu início às aulas do programa de qualificação profissional Donas de Si, no distrito de Outeiro, na sede da Escola de Pesca da Fundação Escola Bosque (Funbosque), nesta segunda-feira, 7. Ao todo, 80 mulheres estão sendo beneficiadas com cursos de panificação artesanal e de produção de doces e bolos de festa.

Uma das alunas é a dona de casa Francisca Tomaz, de 45 anos, mãe de 5 filhos, avó de 7 netos, que é beneficiária do programa de renda cidadã Bora Belém. “Tenho curiosidade de aprender. Nunca fiz um curso na minha vida. É uma novidade pra mim”, conta ela, que ficou entusiasmada com o primeiro dia de aula do curso de panificação artesanal. 

Mão na massa – “Se eu tiver condições, quero colocar uma coisa pra vender de tardinha na porta de casa ou das escolas, como um pão gostoso, um biscoito, um pastel… Gosto de cozinhar, tenho prazer”, planeja Francisca. “Amanhã (terça-feira, 8) nós vamos meter a mão na massa, fazer pães e bolos. A turma está bem animada”, celebra.

A coordenadora-geral do Banco do Povo, Georgina Galvão, explica que o Donas de Si é voltado a mulheres em vulnerabilidade social. “É um programa voltado ao empoderamento feminino. Queremos apoiá-las para que, caso seja da vontade delas, possam se preparar para o mercado de trabalho ou iniciar um empreendimento, para obter a autonomia financeira”, detalha. E, por isso, numa próxima etapa elas receberão orientações e crédito solidário (microcrédito) para iniciar o próprio negócio.

No Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta terça-feira, 8, a coordenadora do Banco do Povo irá a Outeiro para dar as boas-vindas às alunas das quatro turmas do Donas de Si, que estão distribuídas entre os turnos da manhã e da tarde.

Certificação– Os cursos têm duração de 40 horas-aula. Ao final, as alunas receberão certificação com validade nacional. O Donas de Si, em Outeiro, conta com as parcerias do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que fornece as instrutoras; da Fundação Papa João XXIII (Funpapa) que, por meio do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), selecionou as alunas; da Funbosque, que cedeu o local para as aulas; e da Administração Regional de Outeiro (Arout).