O que você procura?

Empreendedores do Mercado de São Brás finalizam curso da Prefeitura visando à COP-30

• Atualizado há 1 mês ago

Um encontro com alunos entusiasmados e degustação de pratos saborosos. Foi assim o evento de conclusão do curso de Planejamento de Cardápio realizado pela Prefeitura de Belém, por meio do programa de qualificação profissional “Donas de Si”, junto aos permissionários do Mercado de São Brás. 

O encerramento ocorreu na noite de 27 de outubro de 2023, na Paróquia São José de Queluz, no bairro de Canudos, com a presença do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, da coordenadora-geral do Banco do Povo, Georgina Galvão, e do secretário municipal de Economia (Secon), Apolônio Brasileiro.

“Achei o curso incrível e muito gratificante para cada uma de nós, que aprendemos a fazer novos pratos”, contou a oradora da turma, Tatiana Andrade, de 37 anos, que há dez anos trabalha no Mercado de São Brás.

“Vendo variedades de pratos e, com esse curso, trocamos várias experiências, inclusive, já coloquei alguns pratos novos para vender, principalmente o prato vegano”, disse a empreendedora, que é mãe solo de um casal de filhos. “Parabenizo a Prefeitura de Belém por essa ideia de capacitar e profissionalizar o povo e, principalmente, por incentivar as mulheres”, completou Tatiana.

O curso é uma parceria da Prefeitura, por meio do Banco do Povo, com a Associação dos Empreendedores do Mercado de São Brás (AECOM) para atender aos trabalhadores da área da gastronomia. O objetivo é preparar os permissionários da Prefeitura enquanto as obras de reforma e requalificação são realizadas no mercado, além de prepará-los para atender aos visitantes que virão à capital paraense para a COP-30, a convenção das Nações Unidas para mudanças climáticas.

Prefeito destaca aperfeiçoamento

O prefeito Edmilson Rodrigues destacou o aperfeiçoamento por meio do curso e também a obra do Mercado de São Brás. “A economia como um todo pode ser uma esfera social. Estamos nos organizando para ter, cada vez mais, sucesso. Aqui ninguém tá aprendendo do zero, mas aperfeiçoando o trabalho. Temos a parceria do sistema S, que reúne várias missões, a produção agrícola, de comércio e industrial. Estamos reformando o Mercado de São Brás, um projeto bonito para dar condições de trabalho e conforto para vocês também”, explicou o prefeito. 

O curso aconteceu em espaço cedido pela Paróquia de Queluz, desde o último dia 16 de outubro, com jornada de 40 horas-aulas. Foi ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que mantém contrato de prestação de serviço com o Banco do Povo.

Os 18 alunos concluintes aprenderam a elaborar pratos como arroz com jambu, yakimeshi, escondidinho de charque, caldo de caranguejo, costelinha suína ao molho de abacaxi, fusilli ao frango e legumes, torta alemã à moda paraense, mousse de maracujá e outros.

Felicidade no aprendizado

Patrícia Solano, de 42 anos, que há sete anos trabalha vendendo café e lanches no Mercado de São Brás, foi outra aluna contemplada. Dessa atividade ela retira o sustento da família, formada por dois filhos e um neto. “Hoje estou muito feliz por ter esse espaço para trabalhar. Tenho grande expectativa depois desse curso, que me trouxe novos conhecimentos”. 

Patrícia aprendeu a fazer pão caseiro, hambúrguer, caldos e broa de milho, os quais já introduziu no cardápio. “Aprendi coisas maravilhosas que não sabia fazer, já estou colocando em prática. Graças a Deus, está dando tudo certo”.

Os alunos também aprenderam a otimizar o emprego dos ingredientes para economizar o custeio, além de receitas que aproveitam cascas, talos e folhas de frutas, verduras e legumes que costumam ser descartados. 

“Nós jogamos muita coisa fora que pode ser aproveitada na alimentação. O curso foi muito bom, pena que já está encerrando. Eu queria poder ter mais tempo para poder aprender mais coisas”, acrescenta Patrícia. “Agradeço ao nosso prefeito, Edmilson Rodrigues, que nos concedeu a oportunidade de participar desse programa e de ter conhecido a instrutora Cristiane Damasceno e a equipe do Banco do Povo, que foram atenciosas e dedicadas conosco”.

Ação integrada

A Prefeitura, por meio de vários órgãos, de forma integrada, está investindo na requalificação dos empreendedores do Mercado de São Brás. “O investimento junto a estes trabalhadores não começou com esse curso e nem vai terminar com ele”, destacou a coordenadora do Banco do Povo, Georgina Galvão. Antes desse curso, o Banco e a Secon, em articulação com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) realizaram para eles uma semana de oficinas sobre empreendedorismo, atendimento ao cliente, formação de preços, fluxo de caixa e formalização do Microempreendedor Individual (MEI). 

Georgina disse ainda que também foi iniciada “uma conversa para o acesso ao Crédito Solidário, que é operacionalizado pelo Banco do Povo, e informamos sobre os serviços da Sala do Empreendedor, uma parceria da Secon com o Sebrae”.

O titular da Secon, Apolônio Brasileiro, ressaltou que “essa ação integrada dos órgãos da Prefeitura visa a preparar os trabalhadores para a conclusão da reforma do mercado, mas também para a COP-30. A cidade receberá investimentos dos governos municipal, estadual e federal e o que estamos fazendo é qualificar os nossos permissionários para melhor atender à população e aos turistas que virão à capital paraense, além de apoiá-los a aprimorar os seus empreendimentos”.

Mercado

O prédio histórico do Mercado de São Brás, de arquitetura neoclássica e Art Noveau, datado de 1910, se localiza em um dos principais pontos de circulação de pessoas da cidade de Belém. A obra está orçada em cerca de R$ 100 milhões, com recursos da Prefeitura de Belém, garantidos por financiamento da Caixa Econômica Federal. 

O Mercado será modernizado para se tornar um ponto atrativo de negócios, gastronomia e lazer para a população belenense e os turistas.

Segundo a AECOM, quase 300 microempreendedores trabalham no complexo, incluindo as áreas interna e externa. Com as obras, 193 deles foram realocados provisoriamente para a parte de trás do mercado, ou seja, eles continuam trabalhando durante as obras e se preparam para fazer mais e melhor quando o espaço for reaberto.

Veja também