O que você procura?

Donas de Si: Prefeitura e concluintes celebram a qualificação de 1 mil pessoas

• Atualizado há 1 ano ago

A Prefeitura de Belém realizou o I Encontro Donas de Si, que celebrou o atendimento de 1 mil pessoas (até 31/12/2022) pelo programa de qualificação profissional, que é operacionalizado por meio do Banco do Povo de Belém. O evento contou com a presença do prefeito Edmilson Rodrigues, de ex-alunas e alunos, parceiros e autoridades, no último dia 19 de janeiro, no Centur. Na ocasião, foi lançado o Mapa Digital que aponta os cursos ofertados e a quantidade de atendimentos por bairro.

“Eu sou muito agradecida pela oportunidade de fazer o curso e poder mostrar meus produtos neste dia. Eu gosto do que faço e daqui pra frente espero continuar. Eu levo o programa pra onde eu vou”, contou, empolgada, a manicure e agora também doceira Eliza Lisboa, durante o encontro.

Auditório lotado do Centur com 600 pessoas.

O prefeito Edmilson Rodrigues destacou o empenho da gestão em combater a fome com desenvolvimento de políticas públicas. “Atuamos para garantir o combate à fome com o Bora Belém – programa de renda cidadã – e o Donas de Si, com a formação profissional”, explicou.

Ele enfatizou que a diplomação dos cursos de qualificação ofertados pela Prefeitura de Belém tem validade nacional e é realizada por instituições com credibilidade no país, no caso, os Serviços Nacionais de Aprendizagem Rural (Senar) e Comercial (Senac).

Coordenadora do Banco, Georgina Galvão, apresentou o Mapa.

O Donas de Si já realizou 58 turmas de 22 cursos e planeja atender mais 1 mil pessoas até o final do 1o semestre de 2023. Ao todo, R$ 800 mil foram investidos em contratos firmados com o Senar e o Senac.

Renda imediata

Os cursos gratuitos oferecidos pelo Donas de Si têm potencial de geração de renda imediata, como corte e costura, corte de cabelo, manicure e pedicure, confeitaria, panificação, bolos e doces, jardinagem e paisagismo, entre outros.

Houve a entrega de certificados a alunos concluintes.

Outros cursos são voltados à inclusão digital, caso de Informática Básica e Excel, que tiveram nove turmas com o atendimento de 180 pessoas. Os alunos concluintes recebem certificados com validade nacional.

Depoimentos

A indígena da etnia Warao Argélia Del Carmen, que reside em Belém há 2 anos, agradece por ter concluído o curso de Empreendedorismo Digital. “É um curso que vai servir para seguir em frente com conhecimento. E isso é muito importante para mim”.

Cantora Gigi Furtado animou a manhã com show ao vivo.

“Foi muito bom o curso. Muitas mulheres ficavam em casa e não tinha renda nenhuma. Com essa renda extra depois do curso de processamento de frutas vai me ajudar muito com as minhas duas filhas”, contou a vendedora Fernanda Moraes, 34, de Mosqueiro, com o certificado na mão.

Também de Mosqueiro, a aposentada Eliana Campos, 71, participou do encontro das mulheres, orgulhosa com certificado do curso de Floricultura, Paisagismo e Jardinagem em mãos. “Eu me surpreendi com o curso. Ampliei meu conhecimento e vi uma oportunidade de renda extra. A Prefeitura de Belém está de parabéns porque isso abriu um leque pra muita gente que precisa”, disse a aposentada.

Prefeito Edmilson Rodrigues cumprimentou as alunas.

“O I Encontro das Donas de Si é uma celebração pelos 407 anos de Belém. É um presente para Belém. Fazemos a celebração porque contabilizamos mil pessoas atendidas de junho de 2021 a dezembro de 2022”, disse a coordenadora do Banco do Povo, Georgina Galvão.

Histórico

Lançado em 2 de junho de 2021 pelo prefeito Edmilson Rodrigues, o Donas de Si foi inicialmente voltado às mães provedoras do lar, especialmente as beneficiárias do Bora Belém e outros programas de assistência social. 

Alunas do Donas de Si agradeceram ao prefeito pela iniciativa.

Em maio de 2022, o atendimento foi expandido com a assinatura de contratos de prestação de serviço junto ao Senar e Senac, nos valores de R$ 303 mil e R$ 500 mil, respectivamente, permitindo a abertura das inscrições para a população em geral, inclusive para homens.

Outros grupos vulneráveis alcançados com a oferta de cursos foram pessoas LGBTI+, indígenas Warao, pessoas remanejadas dependentes do auxílio-aluguel, mulheres vítimas de violência doméstica, empreendedores da economia solidária e familiares de internos do sistema prisional.

Equipe do Banco do Povo que organizou o encontro.

Veja também