LGBTQIA+ recebem curso de corte de cabelo do Banco do Povo

LGBTQIA+ recebem curso de corte de cabelo do Banco do Povo

A Prefeitura de Belém, por meio do Banco do Povo de Belém e em parceria com a Coordenadoria de Diversidade Sexual (CDS), finalizou o curso de corte de cabelo para iniciantes, que foi voltado ao público LGBTQIA+. A formatura dos 18 concluintes foi marcada pela emoção e novas perspectivas de futuro que surgem com o aprendizado obtido. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira, 28, na sede do Instituto Embelleze, que ministrou o curso.

Mudança de vida

 “Eu corto cabelo em um banco no fundo do quintal de casa e cobro somente R$ 5 porque não era profissional. Agora é diferente. Eu pretendo abrir o meu salão para começar a trabalhar mesmo”, contou o aluno Saile Sotnas, de 45 anos.

“O curso foi excelente. Só tenho gratidão”, comemorou. Para abrir o próprio negócio, Saile já conta com outro apoio do Banco do Povo, o crédito solidário, que será lançado em breve para toda Belém.

A manicure Nádia Carolina Borges, de 33 anos, mãe solo de um adolescente com deficiência, afirma que o curso foi “uma bênção na vida dela”. “Tenho um filho especial, que tem paralisia cerebral, autismo leve, Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDH) e só tem 50% da visão. Recebemos dele somente um salário mínimo (Benefício da Prestação Continuada) para investir em tratamento e medicação controlada. Esse curso veio me ajudar muito, porque vou ter uma renda a mais para ajudar o meu filho”, afirmou.

Transformação 

“Uma alegria o Banco do Povo estar participando desse primeiro curso direcionado ao público LGBTQIA+, que visa transformar a vida das pessoas com qualificação profissional, independência financeira e melhoria de autoestima”, declarou a assessora jurídica do Banco, Roberta Damasceno, que representou a instituição na solenidade.

“Esse curso foi muito importante para dar oportunidade ao público LGBTQIA+, que sempre está à margem da sociedade. A Prefeitura de Belém é um governo de ação, que respeita a população e incentiva a empregabilidade e a autonomia financeira”, destacou a coordenadora da CDS, Jane Patrícia do Espírito Santo.

O curso teve jornada de 40 horas-aula com emissão de certificado. A professora Nilsy Braga informou que os alunos tiveram excelente aproveitamento e que somente dois deles não conseguiram completar o curso porque adoeceram.