Comerciantes de Outeiro formam grupos para acessarem o crédito solidário

Comerciantes de Outeiro formam grupos para acessarem o crédito solidário

Os agentes do Banco do Povo de Belém retornaram à ilha do Outeiro nesta quinta-feira, 10, para fazer o levantamento socioeconômico dos comerciantes, proprietários de barracas de praia, que estão habilitados a receber o crédito solidário (microcrédito) nas praias do Amor, Barro Branco e Belo Paraíso.

A Prefeitura de Belém, por meio do Banco do Povo, vai investir R$ 1 milhão em crédito solidário dentre as medidas emergenciais anunciadas pelo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, para os moradores de Outeiro, afetados pela interdição da ponte que liga o distrito ao continente, após sinistro ocorrido dia 17 de janeiro de 2022.

Sílvia Rangel, dona de barraca na Praia do Amor, é uma das empreendedoras que se habilitou para receber o crédito.

Aval solidário

Sílvia Rangel, de 46 anos, sustenta a família com a renda da barraca que possui na praia do Amor há mais de 30 anos. Ela trabalha no local com a ajuda dos dois filhos adultos. “A barraca está com pouca venda, mas a gente não fecha, continua aberto”, conta.

Ela é uma das empreendedoras habilitadas a receber o crédito solidário da Prefeitura de Belém. Uma das etapas de preparação para o crédito foi a formação do grupo de aval solidário, em que três pessoas habilitadas avalizam umas às outras, evitando a necessidade de um fiador com comprovação de renda.

“Montamos o grupo Das Abençoadas, eu e duas amigas que também possuem barracas na Praia do Amor. Já somos amigas e nos ajudamos sempre”, explica.

“Com esse dinheiro do crédito, minha expectatica é comprar um freezer, pois o meu queimou o motor e gasto todos os dias R$ 45 para comprar gelo. Esse crédito é bom pra gente poder equipar a barraca (capital fixo) e também para comprar os gêneros alimentícios que precisamos para continuar vendendo (capital de giro). Eu peguei um contrato de serviço para fornecer 15 refeições por dia. (O crédito) Vai ser bom pra gente ir se mantendo até resolverem o problema a ponte”, conta Sílvia.

O agente de crédito do Banco do Povo, Marcus Vinícius Vilhena, explica que a tarefa desta quinta-feira também consistiu em reunir os documentos e visitar os locais dos empreendimentos.

A próxima etapa do trabalho será a análise das documentações e das necessidades de cada negócio para a liberação do crédito.