O que você procura?

Aluna do Donas de Si é premiada em competição nacional de gastronomia

• Atualizado há 1 mês ago

O programa de qualificação profissional Donas de Si, da Prefeitura de Belém, vem ajudando a transformar a vida das pessoas. Em 2021, Eliza Lisboa fez o curso de “Processamento de frutas e produção de doces”, no bairro do Jurunas.

Ela aprendeu a fazer geleias, doces e cocadas de frutas, criou a própria marca, a “Geleias e Cia”, começou a vender em feiras itinerantes e a atender encomendas e, logo, os produtos se tornaram a principal fonte de renda da família. 

Elisa, que é casada, mãe de dois filhos e beneficiária do programa de renda cidadã da Prefeitura, Bora Belém, acaba de atingir mais um objetivo de aprendizado. Ela foi selecionada entre 30 pequenos empreendedores de diferentes regiões brasileiras para participar da Academia Assaí, uma imersão sobre gestão do negócio realizada pela rede de supermercados Assaí, em São Paulo, que premiou os participantes em várias etapas de seleção entre 22 mil inscritos.

No último dia do evento, no sábado, 7, Eliza saiu de São Paulo com a premiação especial de sustentabilidade, no valor de R$ 3 mil, um dos destaques da finalização do evento. 

Sonho – “Foi mágico”, comemora Eliza, que acaba de retornar a Belém. “O curso (Donas de Si) trouxe oportunidades. Eu era manicure e, após a pandemia, estava sem perspectiva”, recorda. O curso inicial foi realizado dentro de uma associação comunitária do bairro, realizado por meio do Banco do Povo, em contrato firmado com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). O programa da Prefeitura de Belém já qualificou gratuitamente mais de 2 mil pessoas.

Já o curso em São Paulo, ocorreu entre os dias 1º e 7 deste mês. “Eu nunca tinha viajado para fora do Pará. Agora, é só aperfeiçoar. Entendi que o meu negócio tem futuro, até pelo fato de ser um produto artesanal, vegano, sem conservante e com zero lactose”, conta a empreendedora.

Antes da imersão em São Paulo, ela já dominava a qualidade dos produtos na cozinha, e, agora, aprendeu a como ter sucesso na administração. “Tenho expectativa de crescimento ainda maior com esse conhecimento que eu trouxe, agora, de São Paulo.” 

Eliza produz e comercializa geleias de cupuaçu, de pimenta, de cupuaçu com pimenta, de bacuri, cocadas de vários sabores, e agregou o conhecimento sobre antepastos e biscoitos, que passou a produzir, sempre usando bastante ingredientes da gastronomia regional.  

Concurso

Elisa foi sendo selecionada e ganhando prêmios em várias fases do concurso do Assaí. Ela se inscreveu na categoria “ambulante” na área da gastronomia e passou na primeira seletiva entre 2.100 empreendedores, o que deu direito ao prêmio de R$ 300 e uma semana de aulas on line sobre inovação, precificação e outros critérios para administrar o negócio.

Os alunos foram avaliados durante o curso e, numa nova seletiva, ela ficou entre 210 pessoas para a fase regional, sendo 42 por região do país. Nessa ocasião, Eliza recebeu R$ 2 mil em dinheiro e R$ 500 em vale-compras. Na etapa seguinte, Eliza saiu campeã regional na categoria ‘ambulante’, o que a colocou entre os 30 selecionados, sendo seis de cada região do país, dando direito ao prêmio de R$ 2 mil, um aparelho celular e a participação no curso de imersão em São Paulo com passagem aérea e hospedagem pagos. 

Durante a estadia em São Paulo, os alunos da Academia Assaí visitaram a matriz da empresa; a sede da Nestlé Brasil, onde assistiram a uma aula-show com chef da companhia; restaurantes renomados, como o Mocotó, do chef Rodrigo Oliveira, participante do reality de gastronomia Mastercheff; e visitaram também a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para um workshop de administração.

As aulas da imersão foram ministradas pela Aliança Empreendedora. Ao final da semana, os 30 alunos fizeram uma apresentação de três minutos para falar dos próprios empreendimentos e planos, diante de um time de jurados formados por administradores da Assaí e chefs, incluindo Rodrigo Oliveira, e de um auditório lotado. 

Eliza não levou o prêmio principal da noite, de R$ 10 mil, que ficou para um chef de Barcarena, no Pará, mas conquistou um dos três prêmios principais do evento, na categoria sustentabilidade, correspondente a R$ 3 mil. Pois, Elisa, em sua apresentação, defendeu o reaproveitamento dos vidros de geleias mediante a concessão de desconto de R$ 1,00 na compra de novos produtos para os clientes que devolverem os potes comprados anteriormente.

“Não se pode reaproveitar a tampa (dos potes de geleia), mas o vidro, sim”, explicou. Nessa apresentação, Eliza foi questionada se conta com o apoio do poder público para empreender e respondeu: “Sou cria do programa Donas de Si, da Prefeitura de Belém. Tudo começou no programa Donas de Si”. Ela acrescentou: “Belém vai sediar a COP-30, em 2025. Eu quero me preparar, ter um ponto para atender turistas. As pessoas compram muito o produto para levar para fora”.

De volta para casa, Eliza agradeceu à Virgem de Nazaré em pleno Círio. “Uma coisa que a Academia Assaí me ajudou muito foi a entender o negócio. Eu fazia, vendia e gastava o dinheiro. A partir de agora quero levar a sério. Aprendi a administrar”, conta. 

Donas de Si

A coordenadora-geral do Banco do Povo de Belém, Georgina Galvão, explica sobre o Donas de Si: “O prefeito Edmilson Rodrigues pensou esse programa, inicialmente, para estimular o empoderamento e a autonomia financeira das mulheres em situação de vulnerabilidade social, especialmente as mães solo. Hoje, o Donas de Si atende mais pessoas, incluindo homens e jovens, em inscrições abertas ao público. Nosso objetivo é transformar a vida das pessoas, apoiá-las na superação de suas dificuldades, por meio da qualificação profissional e do nosso outro programa de apoio ao pequeno empreendedor, que é o crédito solidário”. 

Ela também elogia o desempenho de Eliza Lisboa: “Sempre acompanhamos de perto o empenho da Eliza, que sempre demonstrou muito otimismo, persistência e força de vontade de vencer. Ela é o exemplo para todas as alunas e alunos do Donas de Si, mas também serve de modelo para nós, que estamos vendo-a alçar voos cada vez mais altos. Somos testemunhas que políticas públicas como o Donas de Si são capazes de realizar grandes obras na vida das pessoas”. 

Veja também